O Festival

FRICINE



Primeira edição 
 Lançamento do Festival 

assista  ao clip do Lançamento da primeira edição do Festival 


I

 I Muri Cine

Primeira Edição

2006


A primeira edição do Festival foi realizada de 16 a 19 de novembro de 2006 em Mury, com a denominação de MURI CINE VÍDEO AMBIENTAL, num espaço especialmente montado para acomodar a mostra.  O evento reuniu cerca de 2.500 pessoas, de todas as idades e de diferentes níveis sociais, que participaram de pelo menos uma das diversas atividades gratuitas oferecidas. Foram exibidos 70 filmes e vídeos brasileiros e estrangeiros, num amplo auditório montado numa tenda com capacidade para duzentos lugares. O Festival também se fez presente em outros 4 pontos do município: Centro de Arte e Usina Cultural, no centro da cidade de Nova Friburgo, o Espaço Cultural São Pedro da Serra em São Pedro da Serra e Debossan. Todas as atrações da mostra foram inteiramente grátis. 

    Retrospectiva da Primeira Edição do Festival 

A programação do evento incluiu também palestras com alguns dos mais conceituados ambientalistas, cineastas e cientistas, além de cursos e oficinas que abordaram diversos temas. Leonardo Boff fez palestra de abertura sobre “Ética e Sustentabilidade”, Gustavo Martinelli falou sobre a biodiversidade da Mata Atlântica, André Trigueiro lançou e debateu seu livro “Mundo Sustentável” e Sílvio Tendler exibiu seu mais novo filme: "Milton Santos: Por uma Outra Globalização". 

*






 A programação geral do evento incluiu 


 3 MOSTRAS DE FILMES E VÍDEOS  


1 -  Mostra das Ultimas Realizações Internacionais (MURI) 

apresentando produções recentemente premiadas em outros festivais

*

2 - Mostra de Animações Canadenses 

(com produções do National Film Board, de temática ambiental)

*

3 - Mostra dos Pioneiros do Cinema Ambiental 

"Homenagem a Humberto Mauro"



as 3 mostras exibiram 76 obras em 39 sessões



  4 OFICINAS

> Clínica Tecnológica Ambiental <

 Sebrae



> Reciclando com Arte <

 com Tânia B. Caldogno





> Reciclando a Moda <

com Tânia B. Caldogno



> Animação para Cinema e Vídeo <

com Telmo Carvalho



TEATRO E MÚSICA

> Limpim e a Turminha Consciente < 

 com o Centro de Educação Ambiental de Nova Friburgo (CEA) 




*

        PALESTRAS & DEBATES

> Ética e Sustentabilidade <

com Leonardo Boff



*

> Biodiversidade da Mata Atlântica <

com Gustavo Martinelli

*


   >  "Encontro Com Milton Santos:  O Mundo Global Visto Do Lado de Cá  <

 com Sílvio Tendler

(exibição do filme e debate)

"Milton Santos não era contra a globalização e sim contra o modelo de globalização vigente no mundo, que ele chamava globalitarismo. Analisando as contradições e os paradoxos deste modelo econômico e cultural, Milton enxergou a possibilidade de construção de uma outra realidade, que ele considerava mais justa e mais humana." 





*


LANÇAMENTOS DE LIVROS

> Mundo Sustentável < 

palestra e debate com o autor André Trigueiros 


(direitos autorais da obra doados para o Centro de Valorização da Vida / CVV)


*


> Nova Friburgo, Brasil <

apresentação do livro pela autora Regina Lo Bianco

"A riqueza do lugar no tocante à ecologia, à arquitetura e aos costumes regionais, pelas lentes da fotógrafa 

Regina Lo Bianco ."


***


O I Muri Cine contou com os seguintes apoios

 FICA – Festival Internacional de Cinema Ambiental -  Embaixada do Canadá no Brasil - Consulado Geral da França no Rio de Janeiro - Prefeitura Municipal de Nova Friburgo; Sesc; Sebrae; CENF/Usina Cultural; EBMA-CEA; Nova Friburgo Convention & Visitors Bureau;  ACIANF (Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo); Rustilus; Educari. 


O Festival teve curadoria e direção geral de Pedro Luiz Cavalcanti,  produção técnica da Tusche Produções (com Telmo Carvalho e Mariana Medina), organização da Legítima Produções  e realização do Circuito Turístico Sabor Mury e Jardins de Altitude da Mata Atlântica.

 O  Muri Cine Vídeo Ambiental foi o primeiro festival internacional de cinema e vídeo do Estado do Rio de Janeiro, totalmente voltado para a temática ambiental. 


* * *

II

Segunda Edição

2007


2º MURI Cine teve como um dos seus principais objetivos, estimular a auto-estima do Friburguense no que diz respeito à riqueza e à importância do ambiente natural e cultural de Nova Friburgo, em relação à vida e ao planeta de um modo geral.


  Destaques 

Homenagem ao cineasta friburguense Roberto Farias  
 





Mesa Redonda com os jornalistas Villas Boas Correa, seu filho Marcos Sá Correa e o neto Rafael Correa conversando com o público sobre as particularidades de Nova Friburgo em relação ao passado, ao presente e ao futuro da Terra.



*

 A programação geral do evento incluiu  

  MOSTRAS DE FILMES 

com 60 produções nacionais e internacionais de curtas médias e longas-metragens exibidas em 24 sessões


*

OFICINAS


 Presépios de Papel Machê – com Nívea Semprini

---

Animação em Stop Motion - com Telmo Carvalho e Mariana Medina 


   DEBATES

 

“Limpim - o Filme e o processo de adaptação para cinema das linguagens Literária e HQ com a diretora Daniela Santi

---

> "Os Estudantes na Construção de um Mundo Sociambientalmente mais Justo e Saudável" 


 com a exibição do filme "O Afeto que se Encerra em Nosso Peito Juvenil", de Sílvio Tendler, sobre os setenta anos da UNE, seguido de debate com o diretor



---


> Cinematografia em esportes radicais e de aventuras <

com a exibição do filme "Extremo Sul", dirigido por Monica Schmidt e Sylvester Campe, seguida por debate com o diretor Sylvester Campe e com o fotógrafo do filme Reynaldo Zangrandi


---


> "Reciclando Idéias" e o processo de realização do filme de animação com o diretor Acácio Alves Pinto (Cacinho)   

                                                                                                                                       

PALESTRAS


1- "Biodiversidade de Montanha" no contexto da Serra do Mar e da Mata Atlântica em geral" 

com Gustavo Martinelli 


 2-  "Prevenção e Controle de Calamidades por Intempéries" com o Cel. Roberto Robadey - Comandante do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil de Nova Friburgo


 *

PAINEL

  "Jardim Botânico de Altitude em Nova Friburgo" – com Liszt Vieira e Fernando Cavalcante



 *

   MESA-REDONDA

"As Particularidades de Friburgo em Relação ao Nosso Planeta Ontem, Hoje e Amanhã"

Bate papo entre Villas Boas Correa (jornalista), Marcos Sá Correa (jornalista, ambientalista e fotógrafo) e Rafael Correa (jornalista ambiental e advogado). Avô, pai e filho (três gerações)

 Pai, filho e neto estiveram reunidos numa conversa informal, fazendo uns  aos  outros  poucas e boas perguntas ligadas à particularidades de Nova Friburgo, em relação aos problemas ambientais que afligem Nova Friburgo e o planeta de um modo geral. Na ocasião, foram formuladas perguntas pela platéia.


        *     

                                                                                                  

                                                                                                        SHOW

Paulo Newton Ennes e seu violão 

(Professor da Campesina Friburguense)



                     Retrospectiva da Segunda Edição do Festival em 2007







    *

III

   Terceira Edição

  2008

 Em 2008, após reformulação visando alcançar um público mais abrangente, o festival mudou o principal eixo de suas atividades do bairro turístico de Mury para o centro da cidade e, com a nova denominação de FRICINE - Festival Internacional de Cinema Socioambiental de Nova Friburgo, realizou uma competição nacional que reuniu 102 produções de 13 estados do Brasil, concorrendo aos troféus Alcantarea Imperialis e ao Prêmio Roberto Farias.



O Festival aconteceu entre os dias 15 e 19 de outubro  na Casa de Cultura - Centro de Arte -  Usina Cultural Energisa - Oficina Escola de Artes - Espaço Mônica Araújo



PROGRAMAÇÃO


Ø      Mostras de Filmes e Vídeos

 As exibições de filmes e vídeos constaram de 1 Mostra Competitiva Nacional e                 

 3 Mostras Paralelas (Internacional, Nacional e Regional)

 Durante os 5 dias do festival foram  exibidos 50 filmes, num total de 18 sessões com a duração média de 90 minutos cada. 

 




 





 




>  MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL <



 Concorrendo ao Prêmio Roberto Farias (Melhor Filme) e aos Troféus Alcantarea Imperialis, (Melhor Longa, ou Média- metragem, e Melhor Curta),  inscreveram-se 102 filmes e vídeos, de todos os tipos e formatos, provenientes de 13 estados do Brasil. Num processo de seleção que em vários casos se mostrou muito difícil, foram escolhidas um total de 39 produções, sendo:

 2 longa-metragens, 8 média-metragens (todos concorrendo na mesma categoria), e  29 curta-metragens.

 Para a premiação dos melhores filmes (Longa, Média-Metragem e Curta-Metragem) o FRICINE escolheu como tema Alcantarea Imperialis, gênero botânico pertencente à família Bromeliaceae, a fim de homenagear a biodiversidade da Mata Atlântica e a preservação de suas espécies endêmicas como fator essencial ao novo olhar urgente para com o meio ambiente e sua valorização. Além da sua beleza plástica e da sua importância para a biodiversidade da Serra do Mar, a sua escolha deveu-se à sua ocorrência na Serra de Friburgo, incluindo-a entre as espécies a preservar e considerando que o Bioma Mata Atlântica, mesmo francamente impactado devido à enorme antropização que a Região Serrana vem sofrendo desde a colonização do Brasil, ainda é considerada como Hot Spot em termos de biodiversidade mundial.


O Troféu Alcantarea Imperialis foi criado por Suzana Sattamini, escultora premiada, também engenheira civil e professora universitária, cujo trabalho tem por perspectiva sensibilizar e estimular pela Arte uma nova atitude em relação ao Meio Ambiente.

 

O JÚRI DE PREMIAÇÃO  foi formado por Geraldo Veloso, diretor e produtor cinematográfico, organizador do Festival Internacional de Curta-Metragem de Belo Horizonte e Presidente da Associação Mineira de Cineastas, Carla Oliveira Trigueiro, jornalista, produtora cultural pela Unesco e pela Kria Produções, e organizadora da Mostra FICA no Rio (Festival Internacional de Cinema Ambiental) e  Antonio Carlos da Fontoura, diretor, produtor e roteirista.



FILMES PREMIADOS

  

 Melhor Filme de Longa-metragem

Prêmio Roberto Farias 

"Maksuara - Crepúsculo do Deuses"

de Neville DAlmeida e Tamur Aimara - Rio de Janeiro

 O Prêmio Roberto Farias foi materializado por um troféu criado pelo artísta plástico e designer de Nova Friburgo Mario Moreira, acompanhado por uma quantia em dinheiro.

 



 Melhor Filme de Média-metragem

Troféu Alcantarea Imperialis 

  "Benzeduras"

Documentário de Adriana Rodrigues - Goiás

  Acompanhou o Troféu um prêmio em dinheiro 




 Melhor Filme de Curta-metragem

    Troféu Alcantarea Imperialis 


 "Lolô S.A."

Documentário de Carlos Normando - Ceará

 acompanhou o Troféu um prêmio em dinheiro 



                                                                                               ***

      

 >  PAINÉIS,  PALESTRAS e MESAS REDONDAS <



     O Audiovisual na Educação Socioambiental

        com as participações da Profª Maria Beatriz Abicalil Couto - Secretária de Educação de Nova Friburgo; Suzana Sattamini - Eng. de Petróleo da Ger. de Avaliação e  Monitoramento Ambiental da Petrobrás (Cenpes) e Elisabete Bullara - Diretora do CINEDUC (Projeto Cinema e Educação) 
             
     



        ***     




   A Bicicleta na História e no Futuro

por Zé Lobo - Presidente da Ong Transporte Ativo e representante no Brasil da Ong holandesa Bicycle Paternship Program 


            ***    

           

                   O Negro na Formação do Parque Nacional da Tijuca            

                com a Dra Edialeda Nascimento - Expoente do Movimento Negro Internacional 

Edialeda Nascimento  falou sobre A história do negro na formação do Parque Nacional da Tijuca, uma área quase totalmente devastada por plantações de café e posteriormente reflorestada, onde hoje temos quase 4.000 hectares de mata atlântica em avançado estado de regeneração em plena área urbana do Rio de janeiro, cercada por 43 favelas, ilustra bem a situação desigual do negro, do índio e outras etnias em nosso país. Ainda escravo, o negro colaborou decisivamente no reflorestamente da área. Seus descendentes, hoje em grande parte vivendo em favelas no entorno da unidade de conservação e praticantes das religiões da natureza, consideram a floresta um santuário sagrado e local de culto...” 





 ***    


         "Rondônia: Viagem à Terra Prometida ou Caminhos da Sobrevivência"  exibição do documentário, seguida por debate com o diretor Sílvio Tendler 

 Convidado pela curadoria do FRICINE para fazer uma palestra sobre a história socioambiental do Brasil vista através da sua filmografia, Sílvio Tendler sugeriu , ao invés disto,  apresentar e discutir “Rondônia: Viagem a Terra Prometida ou Caminhos da Sobrevivência” , documentário de 50’ realizado por ele há mais de 20 anos, o  qual  permanece praticamente inédito até hoje. Após a projeção, conversando com a platéia Sílvio Tendler fez um paralelo entre as questões socioambientais da Amazônia da época da produção do documentário, e de hoje, quando, num  Brasil conjunturalmente diferente, subsistem problemas muito semelhantes porém com novas feições e implicações estruturais.  Sílvio Tendler também contou que durante a realização do filme, exibido no mesmo ano de 1986 pela TV Manchete, ele teve que superar diversos problemas que surgiram com os patrocinadores do documentário.  Os patrocinadores queriam que a expressiva migração que vinha ocorrendo  do nordeste do Brasil em direção à  Rondônia fosse discutida no filme apenas através de uma perspectiva ecológica, de preservação ambiental,  e ele fez questão de enfocar o assunto através de uma perspectiva da problemática humana e Socioambiental.

 

    ***    

   Espiritualidade e Consumo Consciente

com Gustavo Martinelli e Alexandre Saioro

    O FRICINE  convidou um cientista (pesquisador titular do IPJBRJ (Instituto de Pesquisa do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, membro efetivo do Conselho de Gestão do Patrimônio Genético Mundial) e um budista para falar e conversar com o público sobre Espiritualidade e Consumo Consciente


   ---

> OFICINAS DE ANIMAÇÃO <


     > Stop Motion <

             por Acácio Alves Pinto (Cacinho) e Albino Diogo 


Inicialmente foi cogitado pela organização do FRICINE utilizar sucata nas oficinas visando o seu caráter educativo em termos ambientais. Entretanto, como um trabalho com sucata demandaria muito mais tempo para a construção e desenvolvimento dos personagens e dos espaços cênicos, optou-se pelo trabalho com  massinha devido às suas características de plasticidade e maleabilidade.

 As inscrições para as Oficinas tiveram a orientação e a assessoria da Diretora da própria Oficina Escola de Artes, Adriana Xavier, que também disponibilizou toda a infra-estrutura necessária ao bom desenvolvimento dos trabalhos.



 Numa linguagem simples e cativante, Cacinho começou o trabalho com cada turma de participantes transmitindo uma visão geral dos príncípios óticos e mecânicos  das diferentes técnicas de animação, e suas respectivas formas de produção e exibição (desenhos, fotos, stop motion, pixilation, 3 D, etc).

 Em seguida, centrando o foco na técnica de Stop Motion, que foi a escolhida para os trabalhos durante o FRICINE, Cacinho mostrou como a mesma pode ser desenvolvida com qualquer objeto. Inclusive com seres vivos, quando então esta técnica ganha o nome de pixialiation.

 Para ilustrar suas palavras, Cacinho apresentou diversos objetos/personagens e exibiu filmes de sua autoria protagonizados pelos mesmos. Disse também que, para a realização de  um filme de animação, geralmente são necessários todos os mesmos itens utilizados na produção de qualquer outro filme que não seja de animação. Ou seja: roteiro/story board, fotografia,diálogos, cenário, iluminação, elenco, música etc. Como destaque dessa primeira fase, Cacinho exibiu o seu premiado “Reciclando Idéias”, todo realizado com sucata no qual um pequeno robozinho faz os espectadores refletirem sobre o nosso futuro.  

 Depois, sempre auxiliado pelo seu assistente, Albino Diogo, Cacinho convidou  os participantes a pensarem historinhas a serem desenvolvidas em filminhos, de aproximadamente 2 ou 3 segundos, mais tarde, durante a 2ª fase da Oficina. Após criarem as suas próprias histórias, sempre com temática socioambiental, os alunos passaram à criação das personagens e dos cenários dos seus filmes, que, finalmente foram realizados com grande excitação e entusiasmo de todos.

   * Cacinho – (Acácio Alves Pinto Júnior): Formado pela Faculdade de Cinema  e TV da Universidade Salgado de Oliveira de Juiz de Fora, Cacinho é desenhista autodidata, nascido em Barra do Piraí,RJ. As Oficinas foram realizadas na Escola Oficina de Artes, da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Nova Friburgo.  







EXPOSIÇÕES 


EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS DE NOVA FRIBURGO



Tendo como tema central da sua 1ª edição “O Audiovisual e a Educação Ambiental”, o Fricine convidou a Secretaria Municipal de Educação a fazer uma exposição sobre os trabalhos de Educação Socioambiental realizados nas escolas de Nova Friburgo.

 Por indicação da Secretária de Educação, Prof. Maria Abicalil do Couto, a Professora Cristina Schuenk, diretora da Escola Municipal Hermínia da Silva Condack (495 alunos)  montou a Exposição "Educação Ambiental nas Escolas de Nova Friburgo" na Casa da Cultura. 


 A professora Cristina nos fala  sobre o seu trabalho para a exposição: 


  •     ...”Fizemos uma árvore com bolas de gás verde, colocamos em cada bola palavras como: desperdício, poluição, desmatamento, etc. O objetivo era mostrar para as pessoas o que não devemos fazer com nosso meio ambiente . No final da exposição, junto a um grupo de alunos estouramos as bolas , simbolizando que estas palavras deixarão de existir. Devemos substituí-las por reflorestamento , reaproveitamento, reciclagem , preservação, cuidado,  que são palavras que colocamos em outra árvore exposta : a árvore dos sonhos... “

  ... “Outros alunos fizeram 1 cartaz com a música ‘Depende de nós’ (Se este mundo ainda tem jeito, apesar do que o homem tem feito, se a vida sobriveviverá....”

     ...“convidamos outras escolas do município para participarem da nossa exposição com os trabalhos que enviaram para o Concurso  Planeta Água 2008, organizado pela a CAENF( Companhia de Agua e Esgotos de Nova Friburgo). As escolas que nos autorizaram expor seus trabalhos foram : Colégio D. Pedro I , CIEP Brizolão, Centro de Educação e Saúde Padre Rafael, E.M. Ernesto Tessarolo, E.M. Jornalista  Américo Ventura e E.M. Messias de Moraes Teixeira...”

      ...“Colocamos também em exposição fotos do Projeto RÁDIO ESCOLA que desenvolvemos neste ano. ( No projeto, os alunos do 2º ,3º e 4º ano foram, durante 5 sábados consecutivos, a uma rádio local onde falaram para  a comunidade tudo o que sabiam e pesquisaram sobre os cuidados necessários para com o MEIO AMBIENTE : (RACIONAMENTO , PRESERVAÇÃO , POLUIÇÃO , ÁGUA , DENGUE , ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DA ÁGUA (ETA) E ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO (ETE), CANTARAM MÚSICAS SOBRE O TEMA , PARTICIPARAM DE JOGRAL , ETC ). 

     “Nesse projeto, em 2008, nós, professores da Escola Municipal Hermínia da Silva Condack, aceitamos a parceria de uma ONG "União das árvores"  na escola. Dessa forma, uma professora, contratada pela ONG, e moradora em nosso bairro , esteve com todas as turmas da escola (18 TURMAS ) uma vez por semana, trabalhando as questões ambientais, incluindo preservação , desperdício , questões relacionadas à água , cidadania , etc...”

     ...”Os alunos do 5º ano ( antiga 4ª série ) fizeram cartazes aproveitando caixas vazias de leite . Recortaram letras na parte prata ( interior ) da caixa. Os cartazes foram feitos com estas letras. 

                                                                                                                        

***

A TERRA É DO HOMEM - Fotografias de Regina Lo Bianco

        ***

FLORESTAS BRASILEIRAS – esculturas de Vera Paturi

 


*


Retrospectiva da terceira edição 



*

equipe de produção 




     *****





IV

Quarta Edição

2010


  O 4º Festival Internacional de Cinema Socioambiental 

 aconteceu em Nova Friburgo do dia 6 ao 12 de dezembro de 2010 nos seguintes espaços

                   Teatro Municipal de Nova Friburgo - Oficina Escola de Artes

           Centro de Integração e Convivência da Terceira Idade




      PROGRAMAÇÃO     


    



Foram realizadas 3 mostras competitivas (Internacional – Regional e Ciência Socioambiental), para as quais inscreveram-se 147 produções de 36 países e 5 continentes. Paralelamente às mostras de filmes e vídeos o Festival ofereceu gratuitamente palestras, mesas-redondas, oficinas e shows de música. 


     FILMES PREMIADOS


  MELHOR LONGA METRAGEM - TROFÉU ALCANTAREA IMPERIALIS 



"PERCEPÇÃO DE RISCO - A Descoberta de um novo olhar "
de Sandra Alves e Vera Longo - (documentário) - Brasil

Sinopse: Mudanças climáticas, riscos para a vida, vulnerabilidade, prevenção, desastres climáticos e sociais são temas que o documentário apresenta e aprofunda, ao percorrer suas ramificações por diversas áreas do conhecimento e da ação humana. Um convite à reflexão, um instrumento de transformação




***

  MELHOR FILME PELO VOTO POPULAR - TROFÉU ALCANTAREA IMPERIALIS 

O PRESENTE DE PACHAMAMA - de Tosifumi Matsushita - (ficção) - Bolívia/Japão

Sinopse: Kunturi tem 13 anos e vive segundo as tradições do povo Quechua, próximo à grande salina de Uyuni na Bolívia. Quando a avó cai doente, seu pai decide levá-lo consigo na Rota do Sal. Eles preparam suas lhamas e partem em um trajeto de quatro meses, no qual o sal coletado no lago é trocado por outros produtos dos Andes. Ao longo da viagem, Kunturi passa por muitos encontros e experiências e é obrigado a enfrentar as complexidades da vida adulta, entre elas, a morte e o sofrimento. Em seu destino final, o Festival Tinku, ele conhece uma bela menina e descobre também o amor.



***

MELHOR MÉDIA METRAGEM - TROFÉU ALCANTAREA IMPERIALIS 

 "CHICO MENDES - Cartas da Floresta"  - de Dulce Queiroz (documentário) - Brasil

Sinopse: Com narrativa em primeira pessoa, o documentário conta a trajetória do líder seringueiro Chico Mendes: os embates com o setor ruralista; a luta pela criação das reservas extrativistas - que resultou em seu assassinato - e o balanço da situação da Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre na época em que o filme foi realizado.


***

 MELHOR CURTA-METRAGEM -TROFÉU ALCANTAREA IMPERIALIS 

A TERRA A GASTAR - de Cassia Itamoto e Celina Kurihara - (animação) - Brasil

Sinopse: "Estava a Terra em seu lugar / E veio o Homem lhe acrescentar/ Consumo do Homem. O Homem na Terra/ E a Terra a gastar"...



***


PRÊMIO ROBERTO FARIAS / Melhor filme pelo Júri oficial


     O SANGUE DE KUAN KUAN - de Yorgos Avgeropoulos - (documentário) - Grécia

Sinopse: Petroecuador foi acusada de causar vazamentos de toneladas de óleo cru na floresta. Antigas populações nativas estão desaparecendo numa escala massiva a medida que a poluição mata os animais que elas caçam e causam doenças, até recentemente desconhecidas para eles, tais como o câncer. Este documentário - o segundo realizado por Yourgos Avgeropoulos enfocando o mesmo assunto - é dedicado para as tribos Tetete e Sansahuari. Suas vozes foram silenciadas para sempre no alvorecer do século 21 por conta do “desenvolvimento” da região.


***

MELHOR VÍDEO REGIONAL

         TROFÉU CÃO SENTADO    

                         
                    
               QUEM ME DERA DESEJAR - de Vitória Nicolau e Mariana Oliveira

Sinopse : Todos nós desejamos alguma coisa mas nos esquecemos de fazer a nossa parte. Para fazer a diferença é preciso agir. O objetivo deste filme é despertar essa visão no público. 
   

 ***


Júri Oficial*



André Sampaio (Rio de Janeiro- RJ - 1975) - Formado em Cinema pela UFF é mestre em Memória Social e Documentos pela UniRio. Diretor, roteirista e produtor de cinema, vídeo e instalações, é autor de 8 filmes (curtas, médias e um longa-metragem em finalização), com filmes premiados no Brasil e no exterior.

 *


Leo Wery (Vlaardingen, Holanda - 1955) É produtor e Diretor de Produção. Com vasta experiência na produção de filmes e vídeos sobre temas ambientais, realizou trabalhos para o Programa das Nações Unidas para o MeioAmbiente (UNEP- United Nations Environment Program), e para diversas produtoras e emissoras internacionais como a ITV, colourFIELD/ZDF, Medialink, Associated Press/Comunidade Européia.

 *



Horst Erhard Bernhard Kalloch (Lindau, Alemanha- 1962) É Ambientalista. Formado em hotelaria e como Chef de cozinha, adquiriu no Brasil, com Mariana Andrea Devoto, o Sítio El Nagual, onde há muitos anos desenvolve um amplo projeto sustentável. Como Ambientalista, participa de várias atividades eco-turísticas, e de intercâmbio cultural, além de cursos nos quais atua como coordenador e instrutor sempre conectado com os esforços que visam a solução de problemas socioambientais.


*

PRÊMIO FRICINE CIÊNCIA SOCIAMBIENTAL



BODE REI, CABRA RAINHA - de Helena Tassara - (documentário) - Brasil


Sinopse: No Nordeste semi-árido, na região da Caatinga, no sertão, enfim, é costume dizer-se que não é o homem quem cria o bode, mas o bode quem cria o homem. Diz-se também que do bode se aproveita até o berro. Assim é de fato. E é por isso que os personagens principais são esses animais: o bode e a cabra. Muitas vezes tratados pelo sertanejo como seres quase humanos, companheiros de infortúnios e jornadas, eles carregam muita história. Isso todo mundo sabe. O que quase ninguém sabe, no entanto, é que sem bodes e cabras o semi-árido nordestino já teria se transformado num deserto de gente e de vida.

*********** 

A Cerimônia de Premiação ocorreu no dia 11 de dezembro, exatamente 1 mês antes do desastre ambiental que em janeiro daquele ano se abateu sobre Friburgo e a região serrana. 

Dentre os premiados, destacou-se como o Melhor Filme de Longa Metragem o documentário “PERCEPÇÃO DE RISCO: A Descoberta de um Novo Olhar”, de Sandra Alves e Vera Longo que, tendo  por base os acontecimentos ocasionados pelo furacão Catarina, no sul do Brasil em 2004, faz uma profunda reflexão sobre as tragédias climáticas que vêm ocorrendo na Terra. Na mesma tarde da premiação, a última mesa-redonda do FRICINE 2010 enfocou o “Plano Verão” de Nova Friburgo, tendo como principal convidado o Comandante em Chefe da Defesa Civil do Município. 


***

     Palestras, Mesas redondas e Debates


COMER BEM, COMER MAL

 com SÔNIA HIRSCH

Jornalista e escritora de 21 livros já lançados sobre o tema alimentação e saúde. “Estamos comendo bem ou comendo mal? Quantidade, qualidade e autoconhecimento são três critérios que podem nos ajudar a manter uma alimentação rica, variada e saudável ao mesmo tempo. Questionar o que se compra e o que se põe no prato é essencial quando se deseja uma vida saudável. A saúde é um patrimônio pessoal e intransferível que hoje, mais do que nunca, depende muito da informação.  


****

Importância dos Cineclubes na Difusão Audiovisual e na Formação de Platéias 

com Pedro Kiua

 

Cineasta, formado em cinema pela UFF, produtor cultural e fundador do Cineclube Lumiar recebeu cineclubistas, cineastas e produtores audiovisuais para um "debate-papo" sobre as tendências e estratégias de produção local, e a importância do fortalecimento e ampliação dos circuitos alternativos de difusão.


****

Educação Ambiental Empresarial


Com ALEXANDRE DE GUSMÃO PEDRINI (professor/ doutor da UFRJ e UERJ); e a participação de Paulo Mangia (Administrador de Empresas, Pós-Graduado MBA- Gestão Empresarial FGV, Consultor na Incubadora de Empresas Origem – UERJ Nova Friburgo e Diretor na Empresa Carbono Bom – Software e Consultoria Ambienta); Benedito da Costa Neto – Gerente de Meio Ambiente da Firjan Regional; Sabrina Moraes da Idealis (empresa de Nova Friburgo que oferece cursos, treinamentos e consultoria na área ambiental).

 Com experiência na área de Educação Ambiental, com ênfase no setor produtivo, o Prof. Pedrini apresentou um painel focando o contexto empresarial como sendo o principal contribuinte para o caos socioambiental que vivemos no país. Ressaltando ser fundamental e premente mapear o que vem sendo realizado com a denominação de Educação Ambiental Empresarial no Brasil, e investigar sua eficácia e impacto. e estabeleceu com os empresários locais e regionais (Firjan e outros) debate e reflexões sobre as relações necessárias e imprescindíveis do sistema produtivo com a sustentabilidade, pela via da educação.


***

MEDICINA ECOLÓGICA E ALIMENTOS ORGÂNICOS  com o médico ALEX BOTSARIS, a produtora orgânica JOVELINA FONSECA, o cientista social MARCELO CASTANEDA e a artista plástica MÔNICA ARAÚJO


  Cada vez mais pessoas estão buscando o equilíbrio e harmonia entre a saúde do indivíduo e a preservação da natureza. Na busca de alternativas, vemos o crescimento do consumo e da produção de alimentos orgânicos e o surgimento de uma visão ecológica da medicina lançando mão de técnicas e conhecimentos milenares.


*** 

 “O PLANO VERÃO” 

 Debate abordando as medidas preventivas e de emergências para acidentes ambientais ocasionados pelas chuvas de verão em Nova Friburgo. 


O debate ocorreu após  a exibição do filme PERCEPÇÃO DE RISCO: A Descoberta de um novo Olhar, que viria a ser Premiado como o MELHOR LONGA METRAGEM DO FRICINE 2010.

O Debate contou com o Sub-Comandante da Defesa Civil de Nova Friburgo, Major Glaucius José Braga Leal (representando o Comte Roberto Robadey que se encontrava em viagem); o geógrafo Fernando Cavalcanti, da Secretária do Meio Ambiente de Nova Friburgo, o Coordenador da Agenda 21 local, Paulo Roberto Costa, o Ambientalista João Mendes, e  representantes das mais diversas camadas da  população da região.


 ***


OFICINAS

    Oficina de Animação  

Stop Motion com Sucata

por Cacinho


Utilizando sucatas na confecção de personagens a oficina culminou na produçãode um filme de animação com temática ambiental intitulado  O JARDIM DOS ROBÔS, com 6 minutos de duração, que foi exibido noite de Premiação e no encerramento do Festival.

                                                                                                                                                           http://www.youtube.com/watch?v=xa0fFH3Zli8


 ***

Oficina de Capacitação de Professores para as linguagens Audiovisuais e experiência em vídeo 

por Bete  Bullara (CINEDUC)






A oficina teve por objetivo oferecer, a professores e outros interessados,informações e reflexões sobre a construção das linguagens audiovisuais, sobre o uso cotidiano desses meios na nossa sociedade e sua utilização em sala de aula e em nosso dia a dia, oportunizando o aprofundamento da leitura crítica das obras audiovisuais e os recursos teóricos e práticos para a melhor compreensão do papel da educação no mundo contemporâneo. 



***


    Shows  de Música 


HAMILTON DE HOLANDA



Hamilton de Holanda, virtuose do bandolim, fez um show absolutamente genial e totalmente envolvente na noite de Abertura do Festival, levando o público presente a aplaudi-lo de modo prolongado e vibrante. Após o show o artista foi trazido de volta ao palco, como conseqüência dos aplausos incontidos, para a execução de três bises.



 ***


CLAUDIO NUCCI 

e participações de Dri Gonçalves e Rafael Lorga



Claudio Nucci: integrante da formação original do quarteto vocal Boca  Livre, apresentou após a Premiação dos filmes vencedores um show que teve tudo a ver com a programação do  FRICINE.  Além de alguns dos seus principais sucessos, fizeram parte do repertório uma coleção de músicas que  tratam de temas importantes como saúde, águas, povos do planeta,  preservação do meio ambiente e das culturas populares

 

 

O Festival pode ainda contar como um presente à sua PROGRAMAÇÃO ESPECIAL:  O AUTO DE NATAL da ESCOLA VALE DE LUZ (método Waldorf), encenada de forma comovente e brilhante pelos seus estudantes, na noite do dia 10 de dezembro.


O FRICINE 2010 nas palavras de alguns participantes 

 

Alex Botsaris, médico... : “Eu acho fundamental que a gente cada vez mais possa estar discutindo a questão do ambiente; a questão da proteção ao ambiente. A questão da sustentabilidade, das ações sustentáveis, de como ir estruturando uma sociedade que possa conviver com a natureza de uma maneira construtiva, e não destruir a natureza. E é claro que isto parte mesmo da questão cultural – a cultura é o centro disso – a cultura é que forma as cabeças e as cabeças é que vão conduzir a evolução da sociedade. Então, eu acho que esse evento é muito bem-vindo e espero que tenham outros eventos com esse perfil para que a gente consiga mudar a nossa sociedade o mais rápido possível.”

 

Marcelo Castaneda, sociólogo...: “ ...importante para trazer o debate das questões ambientais, com o auxílio desta ferramenta que é o audiovisual, que movimento o pensamento, a reflexão, a capacidade de debater, também a partir dos filmes e vídeos, das mesas, dos debates propostos aqui. Para mim foi um prazer participar e posso participar de vários outros.”

 

Fernando Cavalcanti, geógrafo, ...: “é muito bom Nova Friburgo estar nessa corrida cultural junto com o Brasil e com o mundo em busca de transformações socioambientais.”

 

Hamilton de Holanda, músico...: “ Eu vim dar a minha contribuição a umm Festival com a importância desse tamanho, porque eu acho que é enorme... os seres humanos, os homens se acham grandes, né? Eu acho nós somos grandes quando nos juntamos a esse maior de todos que é o meio ambiente, que é a natureza.”

 

Cláudio Damião, vereador: “ Um evento como esse tem a cara de Nova Friburgo! Além da cultura, da beleza, da iniciativa, traz os olhos do Brasil e do mundo para Nova Friburgo.”


Pedro Kiua, cineasta: “... É muito importante essa abertura que o FRI CINE deu ao Cineclube Lumiar estar aqui falando dos direitos do público. A gente está muito acostumado a ser platéia, mas estamos vivendo um momento agora que é importante a gente se empoderar de nossa condição de público e começar a ter essa opção de escolha daquilo que queremos assistir, e os cineclubes têm papel fundamental nesse processo.

 

Mônica Araújo, artista plástica e curadora cultural: “ Bom, o 4º FRI CINE é fantástico, né?! Essa oportunidade de Friburgo, de toda a comunidade estar podendo experimentar mais uma vez essa experiência com filmes de altíssima qualidade...coisas que estão acontecendo no mundo inteiro...”

 

Tiaya Senders, cinéfila: “ Eu acho que a importância desse festival é a reunião de pessoas que estão engajadas nesses movimentos socioambientais – não só dentro do cinema, mas como também cultura, educação, como tudo...”

 

Cláudio Nucci, músico : “ Bom, eu acho um privilégio estar recebendo aqui na cidade um Festival desse porte, com um conteúdo importantíssimo, que muita gente não tem idéia do que seja a importância real disso aí.

 

Na verdade, estamos mexendo com costumes, com informações muito preciosas para gente fazer uma transformação lenta e gradual, mas urgente e necessária. Então...nada como um festival de cinema socioambiental, que traz questões não só do Brasil, como de outros países também para nos dar 


                                                                                                          




##############################


          


O Banner do FRICINE  2010 ainda se encontrava na fachada do Teatro Municipal quando houve o acidente socioambiental de 11 de janeiro de 2011


        A tragédia socioambiental que se abateu sobre Nova Friburgo e Região Serrana do Rio de Janeiro no início de 2011, seguida por graves problemas políticos da Prefeitura de Nova Friburgo, inviabilizaram o repasse à produção do Festival dos recursos de patrocínio que já haviam sido obtidos para a sua 5ª edição, programada para outubro daquele ano, e impediram a sua realização pelos 4 anos seguintes.


##############################

*****

fotograma da vinheta produzida e realizada por Diego Akel para a 5a edição do FRICINE (acima)



 Tendo como principal objetivo exibir para a população de Nova Friburgo os 53 filmes e vídeos que tinham sido selecionados (dentre 180 produções de 34 países) para o FRICINE em 2011,  mas que até então não haviam sido exibidos, o 5º Festival Internacional de Cinema Socioambiental  pode finalmente ser realizado do dia 24 ao 01 de novembro de 2015  na Usina Cultural Energisa, no IENF (Instituto Estadual de Educação de Nova Friburgo) e na Praça Getúlio Vargas, todos localizados no centro da cidade, com o apoio e parceria da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho e de outros importantes parceiros e apoiadores.


*****


V

Quinta Edição

2015
Cartaz do 5º Festival - Foto de Regina Lo Bianco, feita em Córrego D'Antas / Nova Friburgo, retratando flores silvestres nascendo entre os escombros produzidos pelo trágico evento climático ocorrido na região em janeiro de 2011. A foto contou com edição de Alexandre Lo Bianco e Alexandre Saioro, e o cartaz tem arte final de Alexandre Saioro


        *


                                                                                     Vinheta da 5ª edição
          
 Clip de Abertura  


PROGRAMAÇÃO

 Mostra Competitiva Internacional

Mostra Informativa
  Painéis e debates - Oficinas - Manifestações artísticas e Culturais 


e uma especialíssima  


Homenagem ao cineasta Sílvio Tendler



 ******


5º Festival Internacional de Cinema Socioambiental de Nova Friburgo

Mostra competitiva Internacional - Programas especiais - Painéis/debates – Oficinas - Exposição "Urbano", de Cacau Rezende - Manifestações artísticas







SÁBADO – 24/10 - 19:30h


Abertura 

Usina Cultural Energisa

• Apresentação da 5ª edição do Festival 
• Projeção da vinheta e do clip 

Exibição do documentário O Veneno Está na Mesa 2 com a presença do 
diretor Sílvio Tendler 

Homenagem do FriCine a Sílvio Tendler pelo conjunto da sua obra e 
entrega do prêmio FriCine Ciência Socioambiental pela realização de O 
Veneno está na Mesa 1 e 2


DOMINGO – 25/10


Cine especial
Cineclube Lumiar - 17h - Sessão Infantil 
-19h – médias e curtas

SEGUNDA – 26/10


Cinema e Formação do Olhar na Escola 
- mini curso para professores por Bete Bullara, fundadora do Cineduc - Cinema e Educação) 
 IENF (Instituto de Educação de Nova Friburgo




19h - Cine especial – sessão especial no CEJA (Centro de Estudos de Jovens e Adultos)


TERÇA – 27/10

Mostra competitiva Internacional
Usina Cultural Energisa
Sala 1 – 14h às 17:30h (curtas – médias)*
Sala 2 – 13h às 21:30h (curtas – médias)*

20h - Filme Convidado

“BETINHO: A Esperança Equilibrista”, direção Victor Lopes – 90 min
Melhor filme documentário de longa metragem no Festival do Rio 2015


QUARTA – 28/10

Mostra competitiva Internacional
Usina Cultural Energisa
14h às 17:30h - Sala 1: (curtas - médias e longas )*
13h às 21:30h - Sala 2 : (curtas - médias e longas)*


18h - Painel - Sala 1 -


“Mobilidade Urbana e os 200 anos de Nova Friburgo” 

                         com as participações da historiadora Janaína Botelho, do eng. e arquiteto Cacau Rezende e de Zé Lobo, presidente da Ong Transporte Ativo




20h - Filmes Convidados


“Guida”, direção Rosana Urbes – 12 min. 
Prêmios Melhor Filme Annecy 2015 e Anima Mundi Rio e São Paulo 2015 entre outros

“O Menino e o Mundo”, direção Alê Abreu – 85 min
42 Prêmios internacionais como Melhor filme de animação de longa metragem


QUINTA – 29/10
Mostra competitiva Internacional
Usina Cultural Energisa
14h às 17:30h - Sala 1: (curtas – médias e longas)*
13h às 21:30h - Sala 2: (curtas – médias e longas)*


18h - Painel - Sala 1 -

“O Pólo Audiovisual de N. Friburgo” - Ações Estruturantes e Perspectivas de desenvolvimento”.

 Com Rosana Barroso  e as participações do Isec, produtores de audiovisual e interessados.




SEXTA – 30/10

Mostra competitiva Internacional
Usina Cultural Energisa
14h às 17:30h - Sala 1: (curtas – médias e longas)*
13h às 21:30h - Sala 2 : (curtas – médias e longas)*

20h - Filme Convidado

“O Menino e o Mundo” direção Alê Abreu – 85 min
42 Prêmios internacionais como Melhor filme de animação de longa metragem

SÁBADO – 31/10

Mostra competitiva Internacional
Usina Cultural Energisa

 Sala 1: (curtas – médias e longas)
Sala 2 : (curtas – médias e longas)


 Oficina do Mapa Falado
Usina Cultural Energisa 
                                           Oficina de Cartografia Social sobre mobilidade urbana no contexto da Praça Getúlio Vargas
com Gustavo Mello/ Grupo SOS Praça





Ação Sociocultural 
na Praça Getúlio Vargas 

Dança de Rua / Street Dance



***

Cinema na Praça
com Cine Clube Lumiar e Cine Zé






***

exposição de cartografia social
produzida durante a oficina "Mapa Falado"



DOMINGO – 01/11

17h - Mostra competitiva Internacional
Usina Cultural Energisa 
 Exibição dos filmes premiados

 

******


Saiba mais como foram as edições anteriores do FRICINE, suas premiações, cartazes, vinhetas, videoclips, etc., visitando os álbuns de fotos e vídeos do FRICINE  >  > >

http://www.facebook.com/fricine/photos_albums 


******


Voltar ao início e à retrospectiva do FRICINE 2017 - back to home & to resume of the VI edition

6º Festival Internacional de Cinema Socioambiental de Nova Friburgo




 


 




Comments